Javier Mayoral faz humor ‘cool’ com pequenas pinturas, ícones da cultura e surrealismo

Por marcos augusto gonçalves

“Acabei de me tocar que ficaria muito bem de bigode”, diz a legenda da imagem acima. Gosto das pequenas pinturas-cartuns de Javier Mayoral. Irônicas, surrealistas, melancólicas, eróticas. Se você não conhece, pode segui-lo no Instagram, onde é @pulpbrother.

Ele tem um site no qual reúne e vende seus trabalhos. Produz sem parar. Repete-se sobre ele na internet que é espanhol, mora em Miami, é chef e pintor autodidata. Tem um livro à venda na Amazon e já fez uma ilustração para a revista “Piauí”.

Brinca com ícones da cultura, de Nietzsche a Bob Dylan; faz crônica sarcástica da vida contemporânea; zoa políticos; e às vezes pinta apenas retratos, sem legendas. Entre incontáveis, tem um de Tom Zé e um de Vinicius de Morais.

A seguir algumas de suas divertidas pinturinhas, em acrílico sobre madeira:

No meu sonho eu estava escalando um rolo de papel higiênico extra macio que estava por quebrar
O pintor figurativo Francis Bacon comendo ovos com bacon
Nós estamos no prcesso de redecoração de nossa sala
Segura… Estou quase lá…
Friedrich Nietzsche ocasionalmente dava um tempo do niilismo
David Lynch e seu computador
O cachorro médio é uma pessoa mais legal do que a pessoa média
Segura aí, não mexe, acho que é isso